24.05.2019
postado por Gabi e categorizado como Candids

Nesta sexta-feira (24), Rosie Huntington-Whiteley foi fotografada enquanto passeava por West Hollywood, na Califórnia. Os paparazzi flagraram a supermodel fazendo compras na loja para crianças Couture Kids; confira fotos em nossa galeria:

04.05.2019
postado por Bruna e categorizado como Candids, Entrevistas, Public Appearances

Rosie Huntington-Whiteley compareceu ao BUILD Series na tarde desta sexta-feira, 3, em Nova York. A modelo e empresária falou sobre seu site de beleza Rose Inc. e como administra a vida de mãe com o seu negócio. Confira a entrevista e as fotos abaixo:

03.05.2019
postado por Bruna e categorizado como Programas de TV

Rosie Huntington-Whiteley foi uma das convidadas do programa ‘The Tonight Show Starring Jimmy Fallon’ nesta quinta-feira, 2. Na entrevista, Rosie relembra a brincadeira que fez com Jimmy Fallon no Met Gala, como ela está tentando manter o sotaque britânico do seu filho e compartilha suas inspirações para seu site de beleza, Rose Inc. Confira:

02.05.2019
postado por Bruna e categorizado como Candids

Rosie Huntington-Whiteley foi fotografada deixando o hotel The Mark na tarde desta quinta-feira, 2, em Nova York, para as gravações do programa ‘The Tonight Show Starring Jimmy Fallon’. Confira em nossa galeria:

02.05.2019
postado por Bruna e categorizado como Candids

Rosie Huntington-Whiteley foi fotografada na manhã desta quinta-feira, 2, em Nova York. Confira as fotos em nossa galeria:

02.05.2019
postado por Bruna e categorizado como Destaques, Entrevistas, Harper's Bazaar UK

Los Angeles é o tipo de lugar que te desgasta. É uma tarde sombria e sem sol de março e eu cheguei, neuroticamente cedo, a encontrar Rosie Huntington-Whiteley no clube de um novo sócio em West Hollywood, que acaba sendo tão legal e habilmente disfarçado que meu taxista não consegue encontrar. Quando ele finalmente chega – está disfarçado como um bangalô em uma faixa residencial de outra forma indescritível. Uma anfitriã carrancuda bate adesivos de marca sobre a lente da câmera, frente e verso. “Um lembrete gentil de que não damos as boas vindas à mídia social”, ela diz, antes de recusar meu pedido de café e me mandar embora para esperar em um canto com um copo de água da torneira. Eu me vesti esta manhã, mas sinto toda errada. LA faz isso de alguma forma. O que o nosso inglês fez em uma cidade como essa?

A primeira vez que eu conheci Rosie Huntington-Whiteley foi em 2011, quando ela tinha acabado de se mudar para cá para viver com o ator inglês Jason Statham, agora seu noivo e pai de seu filho de 22 meses, Jack. Naquela época, ela era uma garota perfeitamente comum, possuidora da fisicalidade mais extraordinária; Alguém que passara a maior parte de sua carreira modelando lingerie, um pin-up da Victoria’s Secret Angel e do calendário Pirelli que agora tentava seduzir Hollywood.

Tomamos café da manhã juntas no Beverly Hills Hotel, o epicentro do jantar energético. Ela tinha 24 anos e foi sua primeira entrevista adequada, além de revistas de homens, e ela estava carinhosamente nervosa, as mãos cuidadosamente dobradas sobre a mesa na frente dela, um olhar de educada e séria concentração naquele rosto requintado. “Eu trabalhei todos os dias desde os meus 16 anos”, disse ela. “Eu tentei ser profissional em todos os sentidos. Eu realmente me dediquei à minha carreira. Sim, eu sou determinada. Você tem que estar se quiser continuar trabalhando. Não se entrega apenas para você.”

Oito anos depois, ela chega exatamente como previsto – muitas coisas mudaram, mas não as boas maneiras de Rosie. Ela está vestindo jeans de cintura alta, um suéter fino, brincos de diamante de Jessica McCormack e seu anel de noivado eduardiano de cinco quilates. Uma bolsa preta da Hermès Kelly é pendurada casualmente em um braço.

Ela me diz que bateu seu novo Jeep na parte de trás do carro de Statham em sua garagem mais cedo, rindo, o que ela faz muito. Ela fala com entusiasmo, sua enunciação cuidadosa e precisa. Claramente, ela ainda está altamente motivada – mas agora ela exala um profissionalismo mais polido, assim como a vitalidade lustrosa e glamourosa que é sua assinatura. “Eu passo por momentos sentindo que quero voltar a Londres”, ela diz, “mas agora estou muito feliz aqui. Ter saudades de casa é algo com o qual eu aprendi a viver. Quando cheguei, eu estava “Eu vou atuar? Eu ainda estou modelando?” Demorou alguns anos para descobrir que eu teria períodos em que eu não estava trabalhando – essa é a vida de uma modelo – e eu me encontraria um pouco perdida. Mas desde que me tornei mãe, eu me senti muito mais confiante em minha própria pele e muito mais confiante sobre quem eu sou. Tem sido uma mudança de vida.”

Esta é a sexta capa de Rosie para Harper’s Bazaar e a terceira vez que a entrevistei – em todas as ocasiões ela tem sido charmosa, modesta e generosa. Ela usa sua beleza levemente; o que vem de forma mais enfática é o desejo dela de se sair bem, comportar-se bem. “Eu só quero parecer uma pessoa decente”, ela me disse uma vez. “Eu quero deixar minha família orgulhosa.” Seus pais ainda estão juntos, ainda morando na fazenda de Devon, onde ela cresceu. “Eu tenho esse fundo sólido”, diz ela. O fato de ela permanecer tão compreensível pode explicar de alguma forma seu sucesso fenomenal; além de estrelar dois longas-metragens (Transformers: O Lado Oculto da Lua em 2011 e Mad Max: Estrada da Fúria em 2015) e continuar a modelar, escolhendo alianças cuidadosamente e estrategicamente, Rosie também passou os anos desde o nosso primeiro encontro se tornando uma multi – empresária milionária.

A Forbes estimou seus ganhos em 2018 como $11,5 milhões, colocando-a em terceiro lugar na lista das modelos mais bem pagos do mundo, atrás apenas de Kendall Jenner e Karlie Kloss. A maioria vem de seu trabalho com a M&S, onde ela tem uma linha de lingerie mais vendida – um em três sutiãs vendidos em suas lojas é de sua coleção – e, mais recentemente, beleza e fragrância.

“É algo que é para todas”, diz ela. Supermodelo, ela pode ser, mas Rosie também é a própria definição de mulher de uma mulher, e é por isso que ela quer falar honestamente sobre como os últimos dois anos foram em um nível pessoal, além do sucesso profissional. “Uma das minhas coisas favoritas sobre ser mãe é como isso me conecta a outras mulheres”, diz ela. “Eu acho que estaria fazendo um desserviço não só para mim, mas também para elas, se eu não fosse aberta sobre a minha experiência. Eu saí de casa aos 16 anos e tive Jack aos 30 – é muito tempo para me concentrar em mim mesma e no trabalho, e sou grata por ter conseguido tudo do meu sistema, mas tem sido um grande ajuste”.

“Embora eu realmente me sentisse pronta para ter um bebê, isso ainda puxa o tapete debaixo de você. Eu estou obcecada por ele. Eu nunca estive mais apaixonada em toda a minha vida; ele sopra todo o resto da água. Mas é tão esmagador, engloba cada emoção que eu sinto que você poderia ter como ser humano e em um nível tão elevado. Eu não acho que eu esteja deprimida, mas definitivamente tem havido períodos nos últimos 18 meses quando as coisas estão ótimas e você pensa que está no topo, então talvez quando há muita coisa na agenda e fica esmagadora… isso pode causar ansiedade, você sabe.”

Talvez sem surpresas para alguém cuja atlética curvilínea foi a base de sua carreira – combinada com uma capacidade aparentemente fácil de flertar entre a maravilhosa feminidade e o sex appeal – Rosie diz que as mudanças em seu corpo causadas pela gravidez foram as coisas mais difíceis de se lidar. “Foi uma luta para mim, sendo sincera. Ganhei muito peso; muito mais do que as pessoas à minha volta esperavam. Eu não me arrependo – mas eu tinha um longo caminho a percorrer quando Você dá à luz e depois de um certo período de tempo, você se olha no espelho e diz: “Certo, eu tenho que voltar. Tenho que voltar para mim”. Levou um ano de treinamento e disciplina”, diz ela.

“Eu não estou brincando. Levou um ano ao mês para perder cada quilo. Mesmo depois disso, demorou vários meses para que eu pudesse filmar e me sentir bem. Mas, curiosamente, foi um ano de verdade. Desconfortável em minha pele e reencontrando minha identidade – como mulher, como mãe, tendo uma carreira, estando em um relacionamento – e, finalmente, sendo confiante com isso, agora, minha percepção do que eu pensava como se sentir bem e parecer bem. Eu me senti mais forte, fisicamente e mentalmente. Eu sinto, provavelmente pela primeira vez, que eu sou uma mulher ao invés de uma menina. Tem sido uma grande mudança para me ver no espelho e ficar bem com a imperfeição”.

Nós conversamos por um tempo sobre essa realidade versus a visão filtrada do Instagram, que ela concorda ter sido extremamente importante para sua carreira. “Eu sempre quero ser respeitosa com a minha vida pessoal, porque outras pessoas estão envolvidas nisso, então eu uso isso [Instagram] como uma ferramenta de trabalho. Ele permitiu que modelos, que eram sempre vistas como citações de figuras unidimensionais, criassem uma visão bem-arredondada”. Ela faz uma pausa e acrescenta: “Bem, bem arredondado como pode ser em um lugar onde você vê todo mundo no seu melhor.” Ela sente um senso de responsabilidade com as jovens que vêem sua página: “Elas saem se sentindo inspiradas? Elas saem sentindo-se criativas? Elas saem sentindo-se positivas com a experiência? Ou elas se sentem inseguras e indignas? Eu certamente sei, como um ser humano, que há pessoas que talvez prefiram não ver o meu feed.” Ela faz uma pausa. “Eu não quero que ninguém fique desconfortável.”

Com 9,2 milhões de seguidores, Rosie está em posição de alavancar sua celebridade online: como a Forbes observou em uma reportagem sobre Kylie Jenner no ano passado, “A mídia social tem a fama de armas a ponto de um magnata imobiliário poder ser presidente e um ano de idade de uma família “famosa por ser famosa” pode se aproximar do status de bilionário ao monetizar isso ao extremo “. Rosie adotou uma abordagem diferente, no entanto. Em maio de 2018, ela lançou o Rose Inc, um fórum de beleza digital criado na mesa da cozinha durante a gravidez: “No final, tive a vontade de ser realmente criativa””Parece que toda a minha carreira me levou a esse ponto”, diz ela.

“Eu nunca me senti confortável apenas esperando o telefone tocar – porque houve momentos em que isso não aconteceu. Então eu queria construir algo, em vez de sentar e ser submissa. Minha mãe sempre dizia: ‘A vida não vai entregar as coias para você em um prato, Rosie, vá até lá e pegue-o’. Eu quero que isso seja uma plataforma para abrir um diálogo que pareça bidirecional. Não é como se eu compartilhasse algo no Instagram e depois fosse embora. Eu não chamei isso porque eu quero que seja maior que eu – é uma maneira para conectar as mulheres”.

Para finalizar, seu novo papel não é apenas como empreendedora e editora – “Eu não consigo me chamar de CEO”, ela protesta -, mas também como líder de torcida para uma visão mais positiva e inclusiva da beleza. Em um editorial no site, ela escreve: “Ser confiante não exige que você seja perfeito. Isso não significa que você tem que ser a pessoa mais bonita ou mais inteligente na sala. Significa apenas que você tem que ter uma boa visão para si mesma e escolher gostar de quem você vê.” Essa não é uma mensagem que você recebe no Instagram, mas é uma que todos nós devemos compartilhar. Tudo é Rosie novamente.


Fonte: Harper’s Bazaar UK
Tradução & Adaptação: Equipe Rosie H-W Brasil