04.09.2015
postado por Bruna e categorizado como Equipe RHWBR, Notícias

Mad Max: Estrada da Fúria foi eleito pela Associação Internacional dos Críticos de Cinema (Fipresci, na sigla em inglês) o melhor filme do ano. “É maravilhoso ter este grande grupo de críticos reconhecendo nossos esforços coletivos desta maneira”, afirmou o cineasta George Miller, responsável por todos os quatro filmes da franquia Mad Max.

Dia primeiro de setembro parece cedo demais para começar a premiar os melhores do ano, mas a janela de filmes elegíveis do Fipresci Grand Prix é diferente das dos demais festivais e premiações. Os críticos consideram premiáveis os longa-metragens lançados entre 1º de julho de 2014 e 1º de julho de 2015. O vencedor foi eleito com base nos votos dos 493 membros da associação, que conta com críticos de 46 países diferentes.

Estrelado por Charlize Theron e Tom Hardy, Mad Max: Estrada da Fúria contabiliza US$ 374 milhões arrecadado nas bilheterias mundiais com sua trama pós-apocalíptica no formato de um insano road movie de ação.

Na premiação da Associação Internacional dos Críticos de Cinema, Estrada da Fúria bateu os outros três finalistas, todos eles produções do chamado cinema de arte: o drama húngaro Son Of Saul, de László Nemes; o filme de ação taiwanês The Assassin, de Hou Hsiao-Hsien; e a comédia dramática iraniana Taxi Teerã, de Jafar Panahi.

Miller irá receber o prêmio Fipresci Grand Prix no Festival de Cinema de San Sebastian, na Espanha, onde Mad Max: Estrada da Fúria terá uma exibição especial.

De 2010 para cá, a Fipresci premiou os filmes Boyhood – Da Infância à Juventude, Azul é a Cor Mais Quente, Amor, A Árvore da Vida e O Escritor Fantasma. Dos longas citados, apenas o último não foi indicado ao Oscar ou Globo de Ouro, o que faz do Fipresci Grand Prix um prematuro termômetro para a maior premiação da sétima arte.

Será que vem Oscar por aí?

Fonte.

comente a postagem!